voltar
Informações de mercado Notícias
Notícias

Serviço direto de LCL entre Brasil e EUA otimiza operações de importação

Os serviços LCL (Less-than-Container-Load) em rotas diretas facilitam o gerenciamento das cadeias de suprimentos

Rota LCL dos EUA para o Brasil

A DACHSER lançou rotas diretas entre o Porto de Santos, no Brasil, e o Porto de Miami, nos EUA, para facilitar a gestão da cadeia de suprimentos para seus clientes e acompanhar o crescimento do mercado. Este serviço LCL (Less-than-Container-Load) na rota cria condições ideais para compras e distribuição locais para empresas na indústria e comércio, que se beneficiam de uma conexão perfeita de seus mercados, incluindo a coleta e entrega de seus produtos.

Atualmente, é necessário modernizar os processos que envolvem as operações de importação, com o objetivo de tornar as operações mais ágeis, menos dispendiosas e padronizadas. Além disso, a oferta de serviços visa melhorar as operações de importação do cliente, pois a principal vantagem de utilizar este serviço é a oportunidade de compartilhar o frete com outros importadores. Os clientes muitas vezes enfrentam o desafio de que sua remessa tem um peso muito alto e, portanto, seria caro para o frete aéreo. Por outro lado, a remessa não enche um contêiner inteiro e o frete marítimo não é a opção ideal. Para os clientes com quantidades pequenas e pesadas, o embarque LCL é a melhor opção para empresas.

Solução logística

“Essa solução logística oferece custos otimizados e menor tempo de trânsito. Nossos clientes da indústria automotiva e de manufatura já estão se beneficiando da rota direta da LCL entre o Brasil e os EUA, com entrega mais rápida de mercadorias para o destino e planejamento mais rigoroso da logística cadeia “, afirma João Paulo Caldana, Managing Director da Dachser Brasil.

O Brasil e os Estados Unidos mantêm uma relação comercial antiga e extensa. Segundo a ABRACOMEX (Associação Brasileira de Consultoria e Assessoria em Comércio Exterior), os Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do Brasil, depois da China. Em junho deste ano, o Brasil importou mais de 83 bilhões de reais em mercadorias dos EUA.

Contato Thais Meroni