Notícias

UM HORIZONTE MAIS AMPLO

Como a maior economia da América Latina, o Brasil define o ritmo de toda a região. A DACHSER mantém sua própria organização nacional há dez anos, construindo pontes para mercados em todo o mundo.

A lendária estátua do Cristo Redentor vigia o Rio de Janeiro do alto do morro do Corcovado
A lendária estátua do Cristo Redentor vigia o Rio de Janeiro do alto do morro do Corcovado

Com seus navios se afastando, o explorador marítimo português Pedro Álvares Cabral descobriu o que pensava ser uma ilha em 22 de abril de 1500. Ele a chamou de Ilha de Vera Cruz e reivindicou a coroa portuguesa. Quando seu governo descobriu a extensão desse território descoberto, eles rapidamente o renomearam Terra de Santa Cruz. Na época, ninguém no mundo antigo tinha a menor noção de quão vasta era a área. Das exuberantes florestas tropicais da bacia amazônica, no norte, se estende por 4.400 quilômetros até as terras altas e montanhas do sul.

O nome Terra de Santa Cruz acabou dando lugar ao Brasil, emprestado da primeira exportação do país, pau-brasil, usado na fabricação de corantes e móveis. Hoje, o Brasil é o quinto maior país do mundo em área e a nona maior economia - e um mercado do futuro. Sua população de mais de 200 milhões de habitantes vive predominantemente no nordeste e sudeste. Em 2000, os brasileiros comemoraram 500 anos desde a descoberta de Cabral: meio milênio de história épica e rica que levou à inclusão do país no grupo de esperançosas nações emergentes, a saber, os países do BRIC. Todos são nomes com grande ressonância para o futuro da economia global: Brasil, Rússia, Índia e China.

Um ano antes do 500º aniversário, a DACHSER firmou uma joint venture com um provedor de logística local para estabelecer uma posição no Brasil. Seu plano era expandir ainda mais sua rede na crescente estrela econômica. Todos os sinais eram favoráveis: o interesse internacional crescia constantemente no grande mercado doméstico do Brasil, seu sólido mix de empresas de manufatura, serviços e matérias-primas, sua enorme quantidade de recursos naturais e seu potencial agrícola praticamente inesgotável. A economia estava se concentrando cada vez mais no comércio internacional e na navegação.

Os anos desafiadores

A DACHSER assumiu totalmente a joint venture em 2009, no mesmo ano em que o PIB do Brasil cresceu 7% em relação ao ano anterior. O país experimentou um verdadeiro milagre econômico, com a classe média quase dobrando de 67 para 112 milhões de pessoas entre 2003 e 2013.

No entanto, esse boom não ficou isento de problemas: a produtividade não acompanhou o crescimento e os preços em queda de matérias-primas como minério de ferro ou soja provocaram uma reação em cadeia negativa. Em julho de 2015, a inflação aumentou 9,56% em relação ao mesmo mês do ano anterior. A principal taxa de juros foi aumentada e foi de 14,25% no início de 2016. Como resultado, as empresas não puderam pagar seus empréstimos e a economia enfraqueceu ainda mais. Acrescente a essa mistura os drásticos cortes do governo, que em meio a essas dificuldades econômicas tiveram que financiar grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo da FIFA (2014) e os Jogos Olímpicos (2016).

Tudo isso atingiu particularmente a nova classe média. Além disso, a renda média caiu 16% em três anos. O PIB diminuiu em 2015 e 2016 e os problemas sociais se multiplicaram. 

“Quando fundamos a DACHSER Brasil em 2009, havia incerteza em toda parte sobre como os mercados globais, sistemas monetários e relações comerciais se desenvolveriam. E se houve um grande acidente? Mas não lidamos com estratégias de bom tempo. Eles também têm que aguentar quando navegam em mares tempestuosos. E nossa estratégia se sustentou e nos guiou com segurança em tempos turbulentos. Tornamos o Brasil parte integrante de nossa rede, uma rede que representa logística inteligente e controle totalmente integrado de toda a cadeia de suprimentos. O Brasil se tornou parte de nossa cultura e nossa família.”, afirma Bernhard Simon, CEO da DACHSER

Mas as fortunas do país recuperaram em 2017, com taxas de crescimento subindo para 1,1 e 1,2% em 2017 e 2018, respectivamente. Os analistas esperam que eles continuem a aumentar, com um crescimento médio anual de 2,5% até 2023.

Mesmo sob essas condições mutáveis, a DACHSER Brasil se manteve com sucesso na última década no maior país da América do Sul. O CEO da DACHSER, Bernhard Simon, lembrou recentemente sobre o início da organização do país em seus 10 anos de comemoração: “Quando fundamos a DACHSER Brasil em 2009, havia incerteza em toda parte sobre como os mercados globais, sistemas monetários e relações comerciais se desenvolveriam. E se houve um grande acidente? Mas não lidamos com estratégias de bom tempo. Eles também têm que aguentar quando navegam em mares tempestuosos. E nossa estratégia se sustentou e nos guiou com segurança em tempos turbulentos. Tornamos o Brasil parte integrante de nossa rede, uma rede que representa logística inteligente e controle totalmente integrado de toda a cadeia de suprimentos. O Brasil se tornou parte de nossa cultura e nossa família. ”

Dentro da rede global da DACHSER, a organização do país é um pilar essencial da região das Américas. “Valeu a pena transformar o Brasil em um nó essencial em nossa rede global. Isso tornou a rede muito mais robusta e melhorou seu desempenho ”, explica Simon.

No ano passado, a DACHSER Brasil aumentou sua receita em 18,5%, para BRL 324,4 milhões, ou apenas US $ 79 milhões. Cerca de 200 funcionários em 8 locais, incluindo São Paulo, Santos e Rio de Janeiro, transportaram 23.200 remessas com uma tonelagem de 18.300 toneladas para clientes em 2018.

A DACHSER também está presente nos mais importantes terminais de movimentação de cargas do Brasil - em Santos, por exemplo, o maior porto do país. Ou no estado de São Paulo, onde a cidade de Guarulhos possui uma conexão do aeroporto de carga mais importante do Brasil à estrada que leva ao Rio de Janeiro. Como resultado, a DACHSER Brasil está excelentemente posicionada para exportação. A China é o maior mercado de exportação do Brasil, representando cerca de 27%, à frente da UE (cerca de 18%) e dos EUA (cerca de 12%). As exportações primárias incluem produtos de soja, carne, açúcar e minério de ferro. Em 2018, a maior proporção das importações do Brasil veio da China (19,2%), à frente da UE (19,18%), EUA e Argentina.

CEO da DACHSER, Bernhard Simon, na comemoração do aniversário de 10 anos
CEO da DACHSER, Bernhard Simon, na comemoração do aniversário de 10 anos

Expandindo a infraestrutura

Quanto ao transporte terrestre, mais de 60% dos transportes de mercadorias do Brasil são rodoviários. Segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), a rede de rodovias do Brasil se estende por 1,5 milhão de quilômetros, embora apenas 11% deles sejam pavimentados. Um pouco mais de 20% das mercadorias são transportadas por trem, embora o governo tenha anunciado que deseja aumentar esse número significativamente nos próximos anos. Os planos prevêem a alocação de cerca de US $ 15 bilhões para a expansão ou construção de quatro linhas ferroviárias: Norte-Sul (São Paulo-Tocantins), Ferrogrão (Mato Grosso), FIOL (Bahia) e FICO (Centro-Oeste). Isso melhoraria fundamentalmente a logística no Brasil. E, graças ao investimento de operadores aeroportuários internacionais, os aeroportos de Porto Alegre, Fortaleza, Salvador e Florianópolis também tiveram um desenvolvimento positivo nos últimos anos.

“Integramos de perto nossa organização aérea e marítima, adotando uma abordagem sistemática e inteligente”, afirma João Paulo Caldana, Managing Director da DACHSER Brasil. “Ao fazer isso, nos concentramos em processos, integração e padrões.” Ele acrescenta que a DACHSER está substituindo todas as soluções isoladas em todo o mundo que não agregam valor sustentável ao seu sistema de gerenciamento de transporte Othello, desenvolvido internamente. “Isso significa que podemos registrar nossas remessas globais quase completamente em nossos sistemas totalmente integrados. O lançamento do Othello no Brasil terminará em 2020 ”, diz Caldana.

Ele continua explicando que a logística integrada marca um novo e alto nível de logística. “Abre novos horizontes para clientes e provedores de serviços. Uma operação em pequena escala pode, de repente, se transformar em algo realmente grande. ”Uma declaração que provavelmente teria encantado Pedro Álvares Cabral.

Contamos com soluções completas. Ao fazer isso, nos concentramos em processos, integração e padrões
João Paulo Caldana, Managing Director DACHSER Brasil

Com mais de 60 milhões de hectares (aproximadamente 150 milhões de acres) de terras aráveis - uma área com o dobro do tamanho da Alemanha - o Brasil é um dos países agrícolas mais importantes do mundo. Em 2018, foi o maior produtor mundial de café, cana-de-açúcar e suco de laranja, além de maior exportador de frango, carne bovina e soja. O Brasil também é um ator importante na produção de madeira e celulose.
 

PERFIL

República Federativa do Brasil

  • Área: 8,5 milhões de km2 (47% da área da América do Sul)
  • População: 210 milhões
  • Capital: Brasília
  • Língua oficial: português
  • Moeda: Real Brasileiro (BRL)
  • PIB: US $ 2,138 bilhões (2018)
Contato Thais Meroni